quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Caboclos na Umbanda


São espíritos de muita luz por estarem em um grau mais elevado de sabedoria e conhecimento na Umbanda eles são as principais entidades junto com os Pretos Velhos.
São considerados espíritos de índios que já morreram e que viraram guias de luz que voltam à Terra para prestar a caridade ao próximo ou almas de pessoas que assumiram a roupagem fluídica de caboclo como instrumento de ideal. São da Linha das Matas e o Orixá que os representa é Pai Oxóssi mas também temos Caboclos de Ogum, Xangô, Oxalá, Oxum, Iemanjá, Obaluae entre outros.
Apresentam-se altaneiros, dando o seu grito de guerra e gesticulando como se lançassem suas flechas. Normalmente seus conselhos visam a melhorar o ânimo dos mais necessitados. A imagem quase sempre condiz com a figura do bom selvagem romantizado, belo, puro, nobre e arrojado. São espíritos sérios e bastante contidos. Normalmente os consulentes os tratam com muito respeito e até algum temor. São grande manipuladores das forças da natureza e conhecem as ervas como nenhum outro seus maiores trabalhos são direcionados para a cura, descarga e auxilio espiritual.




Geralmente se utilizam de charutos para provocar a descarga espiritual de seu médium e também do seu consulente. Alguns assoviam, outros bradam no ato da incorporação. Costumam ser bastante sérios nos seus conselhos. São considerados, portanto, grandes trabalhadores dos terreiros.