quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Cangaceiros na Umbanda


Agora, nos trabalhos espirituais, fazendo parte da Linha dos Baianos, os Cangaceiros utilizam suas peixeiras para cortar as amarras do egoísmo e da vaidade que sufocam aqueles que não entenderam a humildade de Cristo. Com suas carabinas atiram balas de luz e amor no peito de cada espírito que ainda não encontrou a verdadeira força do trabalho em grupo. Utilizam como munição toda a  sabedoria de vida que o Sertão lhes presenteou. E através das suas rezas brabas e da alegria de seus xaxados, quebram toda egrégora densa de pensamentos de seres mal intencionados.
    Esta linha de trabalho atua na Umbanda como força protetora e amparadora de todos aqueles que são fracos e vivem algum tipo de necessidade extrema, auxiliam na proteção da casa, no equilíbrio e harmonia dos trabalhos, podem dar consultas, atuar nas ações de descarrego e desobsessão, entre tantas outras formas de atuação e manifestação. A sua especialidade é a doutrinação e recolhimento de quiumbas e o desmanche de magias e trabalhos negativos. São muito aguerridos, na maioria das vezes apresentam-se de forma brusca e rude, mas são muito amorosos e amigáveis. Devemos lembrar que todas as linhas de trabalho são amparados por uma hierarquia divina que está sempre ligada a um Orixá Regente Inicialmente, então sendo associados ás irradiações do Pai Omulú e Mãe Nana, mas podem ter campos de atuação em todas as 7 irradiações divinas. Os cangaceiros são espíritos em evolução assim como nós e que receberam a oportunidade de atuar no plano espiritual dentro de uma religião que não discrimina e nem julga as pessoas pelo que elas foram e viveram.