quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Fundamentos básicos da Umbanda.


Os fundamentos da umbanda variam conforme a vertente que a pratique.
Existem alguns conceitos básicos que são encontrados na maioria das casas.
Dogma é o ponto fundamental de uma doutrina religiosa. A Umbanda também possui seus dogmas, crenças e fundamentos.
1.            A existência de uma fonte criadora universal, um Deus supremo, pode receber os nomes Zambi, Olorum ou Oxalá. Algumas das entidades, quando incorporadas, podem nomeá-lo de outra forma, como por exemplo Tupã, para caboclos, entre outros, mas são todos ou o mesmo Deus.;
2.            O compromisso com "a manifestação do espírito para a caridade". O que significa que a ajuda ao próximo não ser retribuída em dinheiro ou valor de qualquer espécie.
3.            Cremos na existência dos Orixás, Espíritos de Plano Superior, que comandam as 7 linhas ou vibrações da Umbanda;
4.            Vestes, em geral, brancas.
5.            O não sacrifício de animais.
6.            Serviço social constante nos centros.
7.            Magia branca.
8.            Batiza, consagra e casa.
9.            A crença na imortalidade da alma.
10.         Temos a reencarnação como ponto pacífico, logo, indiscutível;
11.         Cremos na existência de seres fora da matéria e na sobrevivência de nossa própria alma após a morte do corpo físico, significando que o espírito não morre, mas sobrevive ao homem, em caminho de evolução;
12.         Há possibilidade de comunicação com espíritos desencarnados, através da faculdade mediúnica;
13.         Existe uma Lei de Causa e Efeito, pela qual colhemos tudo o que plantamos. Não há acaso, tudo é consequência;
14.         O progresso individual ou as situações na vida são produtos de seu livre arbítrio ou escolha das provas antes da descida à matéria;
15.         Amai-vos uns ao outros é o lema principal da Umbanda, manifestado na prática da caridade , tanto na palavra como na ação;
16.         Não há espíritos voltados eternamente para o mal, mas seres em estágio de aprendizado;
17.         Todos temos guias espirituais que nos acompanham nos moldes dos anjos de guarda, porém, com faculdade de se comunicarem conosco, através da mediunidade;
18.         Jesus Cristo foi o espírito de categoria mais elevada que já encarnou entre nós;
19.         Adotamos a liberdade da prática religiosa, respeitadas, entretanto, as leis dos poderes legalmente constituídos;
20.         Todos somos iguais, porque somos filhos do mesmo Deus de justiça, Sabedoria e Amor;
21.         A afirmação de que todas as religiões constituem os diversos caminhos de evolução espiritual que conduzem a Deus, significando que todas as religiões têm uma única finalidade: Aperfeiçoar o homem e levá-lo para Deus. Daí o nosso respeito a todas elas, pois cada um tem afinidade com uma corrente religiosa que esteja em correspondência ao seu grau de compreensão e evolução.