quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Nanã Buruque


Rege sobre a maturidade e seu campo preferencial de atuação é o racional dos seres. É a divindade que acompanha nosso fim na carne, assim como nossa entrada em espírito, no mundo astral. Mãe Nanã é a maleabilidade e a decantação, é a calma absoluta, que se movimenta lenta e cadenciada. Essa calma exige silêncio; descarrega e magnetiza o campo vibratório das pessoas, que se modificam, passando a agir com mais ponderação, equilíbrio e maturidade.
Maturidade é sabedoria, é o desenvolvimento e o compartilhamento de virtudes, é o uso da razão, com simplicidade, harmonia, equilíbrio, amor e Fé. Nanã é a guardiã dos deltas e estuários, locais em que os rios são absorvidos pelo mar.
Nanã Buruquê tem uma dimensão formada por dois elementos, que são terra e água. Ela envolve o espírito que irá reencarnar em uma irradiação única, que dilui todos os acúmulos energéticos, assim como adormece sua memória, preparando-o para uma nova vida na carne, onde não se lembrará de nada do que já vivenciou. É por isso que Nanã é associada à senilidade, à velhice, que é quando a pessoa começa a se esquecer de muitas coisas que vivenciou na sua vida carnal. Assim, um dos campos de atuação de Nanã é a memória dos seres, adormecendo os conhecimentos do espírito para que eles não interfiram com o destino traçado para toda uma encarnação.
Em outra linha da vida, ela é encontrada na menopausa. No início desta linha está OXUM estimulando a sexualidade feminina; no meio está YEMANJÁ, estimulando a maternidade; e no fim está NANÃ, paralisando tanto a sexualidade quanto à geração de filhos.
No sincretismo religioso é Nossa Senhora de Sant’ana. Dia da semana: sábado. É homenageada em 26 de julho.
O Orixá que contrapõe é OBULAIYÊ.
São suas oferendas: velas brancas, roxas e lilás; champanhe rose, calda de ameixa ou de figo; melancia, uva, figo, ameixa e melão, tudo depositado à beira de um lago ou mangue. Suas guias de contas são nas cores lilas e branca com faixa lilás na cintura.

Água de Nanã para lavagem de cabeça (amaci): água de rio ou lago com crisântemos e guiné macerada e curtida por 72 horas.



Sincretismo Nossa Senhora San’tana.
Ervas para banho de descarrego: Alfavaca roxa, avenca, cedrinho, erva de passarinho.
Amalá para Nanã Buruque: 7 velas lilas, água mineral, 3 batata doce roxa cozido sem casca amassada com mel ou polenta cozido com mel no alguidar, flores lilás e roxas.
Frutas: Uvas roxas, ameixas vermelhas, figos, melancia pequena, laranja lima, jaca.
Local de entrega: Conga do terreiro, beira de lagos, rios escuros.